LUMARJ – Administração de Condomínios

Conflitos relacionados ao Home office em condomínios na pandemia

Desde 2020, com a pandemia do Coronavírus e a quarentena decretada em março, o home office, uma forma de trabalho que estava se popularizando aos poucos antes, se tornou a regra para muitos profissionais ao redor do mundo cujas funções poderiam ser realizadas remotamente ou online. E isso não se aplicou apenas aos empregos, mas também aos estudantes de todas as idades que contaram com as aulas e ensino à distância.

Com isso, não somente as pessoas ficaram mais em casa devido aos riscos do contágio da Covid-19, mas também fazendo suas tarefas e obrigações cotidianas, acadêmicas e profissionais. Consequentemente, para quem mora em condomínios, convivendo indiretamente com os vizinhos, já que as áreas comuns se encontravam fechadas.

Porém, mesmo sem este contato direto, os conflitos entre moradores também podem ocorrer. Esse aumento de pessoas em casa, principalmente crianças e pessoas trabalhando altera completamente as rotinas das famílias, eleva o consumo de itens básicos e cria situações que antes eram atípicas. Além disso, devido à pandemia e ao isolamento social, as pessoas estão muito tensas, eufóricas e tudo é motivo para conflito, com o agravante de uma comunicação precária.

Dentre as consequências deste panorama, está o aumento de ruídos, ocasionado pelas crianças brincando nas unidades, pessoas praticando exercícios físicos, reparos emergenciais e manutenção de aparatos dos edifícios, som alto, entre outros. Por isso, deve-se ter bom senso para entender o que foge do normal e do aceitável. A situação de crise mudou os padrões rotineiros. No dia a dia, o síndico deve tentar mediar e conciliar esses conflitos, sempre junto com o conselho, e ir tratando e analisando caso a caso.

Como tudo na vida em condomínio, é extremamente importante lembrar que o direito de um termina quando começa o do próximo. Nos casos em que o profissional que trabalha em home office começar a incomodar a vizinhança, seja com excesso de visitas ou de barulho, ou ainda a sobrecarregar os porteiros com correspondência em demasia, o síndico deve, no primeiro momento, conversar com o morador em questão.

Explique a situação, que anda incomodando os vizinhos, e procure estudar bem a situação. Pode ser que a pessoa não queira acomodar sua empresa em outro local. Para tanto, deve se adequar às regras do local. O regulamento interno deve prever os tipos de atividades permitidas no condomínio. Caso um morador exerça algo fora desse escopo – mas que não incomode o próximo –  o regulamento pode ser alterado. Caso contrário, o empreendimento tem o regulamento a seu favor para barrar a atividade irregular.

O que é permitido hoje no home office em condomínios residenciais:

  • Exercer atividades que não demandem excesso de visitas, entregas ou correspondência como contador, jornalista, webdesigner, consultores, entre outros;
  • Atividades que não demandem além do usual do consumo de água, luz, gás, entre outros;
  • Receber visitas, ou clientes, desde que os mesmos não circulem pelas áreas comuns do condomínio – apenas para entrar e sair.

Enfim, é permitido trabalhar no condomínio, desde que o ofício não incomode os demais

O que não é permitido hoje no home office em condomínios residenciais:

  • Funções que gerem grande e permanente fluxo de pessoas;
  • Visitas, ou clientes, que fiquem circulando pelas áreas comuns do condomínio
  • Uso do hall como sala de espera;
  • Uso das áreas comuns do condomínio como sendo particulares, seja para usar como escritório ou para efetuar vendas;
  • Atividades que envolvam produtos tóxicos, odores fortes, ou que façam muito barulho
  • Atividades que demandam elevado consumo de água ou energia;
  • Dependendo do bairro, e do condomínio, o registro do endereço da empresa não pode ser o mesmo da unidade residencial.

Por fim, é importante salientar mais uma vez a importância da mediação de conflitos que podem ocorrer pelo síndico. Como já foi dito antes, a crise alterou os ânimos das pessoas, deixou-as inseguras, com medo e muitas vezes, na defensiva. Por este motivo, o administrador deve ter jogo de cintura para entender a situação de forma geral, com um olhar empático e resolver a questão com os moradores de forma pacífica.

Em relação ao Home Office não é diferente. Divergências irão acontecer, porém tudo deve ser comunicado e solucionado em conjunto, para que o condômino que precisa trabalhar sob esta condição tenha seus direitos e responsabilidades respeitados perante ao condomínio. Da mesma forma o mesmo deve seguir as normas e ser tolerante e compreensivo com a situação dos vizinhos que também têm suas complexidades e necessidades. Deve-se sempre lembrar que a vida em condomínio preza a coletividade.

 

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *